O que é o 5G e como irá mudar o mundo

Quase uma década depois da sua criação, o 5G está finalmente a tornar-se uma realidade já este ano, com uma implementação mais completa esperada para 2020. Há quem pense que a diferença em relação ao actual 4G LTE é meramente na velocidade de transferência de dados, mas vais mais além.

Sim, é verdade que as velocidades de download e upload de dados nas redes 5G são exponencialmente superiores que em 4G, e isso será essencial para que muitas das tecnologias que estão hoje a surgir possam funcionar no futuro. Mas, para além de aumentar a velocidade de transferência de dados, as redes 5G permitirão que a latência, ou seja o tempo que leva para os dispositivos comunicarem entre si, seja menor, e que haja uma maior fiabilidade e melhor conectividade a partir de qualquer local. Aumentará também a capacidade da rede, permitindo que mais utilizadores e dispositivos estejam ligados em simultâneo. Isto irá potenciar a Internet das Coisas (IoT) e torná-la escalável, com mais de 20.800 milhões de “coisas”, incluindo edifícios, carros, máquinas e electrodomésticos, que são esperados estarem ligados à rede em 2020, comparado a 4.900 milhões em 2015.

Com a rede 5G, será possível fazer o download de um filme em menos de três segundos, um carro será capaz de detectar e navegar automaticamente, comunicar com outros carros na estrada, fornecer informações sobre o desempenho de motoristas e evitar os obstáculos no caminho. Os médicos poderão realizar procedimentos cirúrgicos complexos usando robôs remotamente e as cidades poderão recolher informações em tempo real sobre tráfego, tempo e crime, entre outras. O mundo estará, verdadeiramente, ligado.

A implementação física da infra-estrutura para as redes 5G está ainda a começar. A primeira rede 5G comercial foi lançada na semana passada na Coreia do Sul através da operadora SK Telecom. Mas para além da rede são precisos dispositivos que a suportem, e para já existe apenas o Samsung Galaxy S10 5G, também já disponível na terra natal do fabricante.

Os EUA e os Reino Unido deverão ter redes 5G comerciais ainda durante o corrente ano e outros fabricantes deverão lançar smartphones 5G ao longo dos próximos meses. Por cá, a Vodafone lançou a sua primeira antena 5G em Lisboa, por isso ainda falta muito tempo até que o 5G seja uma realidade e tenha algum peso em termos de utilização.

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os aspectos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →