Relembremos os anteriores vencedores do melhor jogo do ano eleitos pela Foneplay

Pela décima sexta vez, a Foneplay vai eleger os melhores jogos do ano. Foi há mais de 15 anos, em 2005, que a Foneplay escolheu, pela primeira vez, os melhores jogos do ano. Os vencedores foram revelados através de um encarte que foi colocado em três das principais revistas de jogos da altura, tendo sido a primeira experiência da Foneplay na imprensa escrita, e que ditou o início da revista, cujo primeiro lançamento foi em Abril do ano seguinte.

Será durante a próxima semana que iremos revelar os vencedores, começando com os eleitos dos nossos leitores. Caso ainda não tenhas enviado o teu voto, ainda vais a tempo, basta acederes aqui e escolheres da lista indicada aquele que achas ser o melhor jogo e smartphone de 2020.

No final desta semana vamos revelar os nomeados em cada uma das categorias, mas, para já, nada melhor que fazer uma viagem do tempo e relembrar quais foram os melhores jogos para smartphones dos últimos anos, segundo a redacção da Foneplay.

2005

É verdade, foi há 15 anos atrás que começámos a eleger os melhores do ano. Estávamos ainda no começo desta grande caminhada dos jogos mobile, dos telemóveis com teclas e ecrãs pequenos, e jogos desenvolvidos em Java e apenas distribuídos através dos portais das operadoras. Os eleitos da Foneplay foram revelados através de um encarte colocado em três das principais revistas da altura, e elegeu os melhores de diversos géneros.

O melhor do ano foi King Kong, jogo de acção e plataformas desenvolvido pela Gameloft e alusivo ao filme com o mesmo nome que tinha estreado na altura. Escrevíamos assim sobre o jogo “Embora muito difícil, a nossa escolha foi feita e o prémio para o melhor jogo de 2005 vai para King Kong. A história é cativante, igual à do filme, e ao longo do jogo podemos fazer diferentes coisas, desde assumir diversos personagens a realizar tarefas diferentes que tornam King Kong muito desafiante e nada monótono. Poder jogar como King Kong ou como Jack dá-nos perspectivas distintas do jogo, como se de dois jogos se tratasse. Para além de tudo isto, Kong foi desenvolvido de forma a agradar todos os tipos de jogadores, tanto os mais habituados quanto os casuais.

2006

Em 2006 o vencedor do melhor jogo do ano foi Splinter Cell: Double Agent, que, do mesmo género que King Kong, foi também desenvolvido pela Gameloft, que aliás, era a grande editora e produtora de jogos em Java da época. Eis o que dissemos na altura: “A escolha do jogo do ano foi extremamente difícil. Esta não deve recair no jogo que tem os melhores gráficos, o melhor som ou a jogabilidade mais divertida. Tem que ser aquele que, na sua globalidade, é o título mais divertido de jogar, e que de alguma forma poderá aliciar todo o tipo de jogador, quer seja o mais experiente quer o mais casual. Felizmente é cada vez maior a preocupação das produtoras em criar jogos que abarquem todas estas características e é com enorme satisfação que tivemos diversos jogos na calha para vencer este prémio. Mas o vencedor apenas pode ser um e o prémio vai para o jogo Splinter Cell: Double Agent O quarto e mais recente jogo da série é sem qualquer dúvida o melhor de todos. Embora um jogo de acção, é extremamente fácil de jogar existindo diversos níveis de dificuldade e a possibilidade de visualizar dicas que ajudarão a prosseguir no jogo.

2007

O vencedor em 2007 foi também um jogo desenvolvido pela Gameloft. A escolha recaiu sobre Assassin’s Creed, sobre o qual dissemos “Assassin’s Creed, da Gameloft, uma «especialista» neste género de jogos para telemóvel, tendo inclusive os seus jogos vencido esta categoria pelo terceiro ano consecutivo. Assassin’s Creed nos telemóveis é um produto de luxo. Assassin’s Creed é um jogo muito variado, repleto de diferentes missões, todas repletas de acção. O evoluir pelo jogo e a sua solução depende do jogador e das opções que toma ao longo dos diversos níveis, algo muito original e estimulante para jogar diversas vezes e explorar novos percursos.

2008

Em 2008 o vencedor do melhor jogo do ano da Foneplay foi, pela primeira vez, um título não desenvolvido pela Gameloft. Tratou-se de Rally Master Pro, da Fishlabs, sobre o qual escrevemos “Este jogo teve uma grande aceitação por parte da crítica em todos os países, demonstrando que se trata mesmo de um título de grande qualidade. É um jogo de rally, existem muitos títulos de corridas de carros e rallies, mas este consegue realmente agarrar a nossa atenção e querermos continuar a jogar sem parar.”

Este foi também o ano em que o iPhone e o “novo” mercado de jogos e aplicações para smartphones começou a ganhar um espaço cada vez maior, tanto que escrevíamos que o “iPhone a App Store foram a grande loucura de 2008”. Deste modo, elegemos o jogo Rolando, da HandCircus, como o melhor jogo para iPhone do ano, e o dispositivo da Apple como o melhor smartphone.

2009

A Gameloft não ficou muito tempo afastada do pódio, com o jogo Assassin’s Creed 2 a ser eleito o melhor de 2009 para a Foneplay.

2010

Este foi um ano em que o Android, iOS e Windows Phone já detinham grande parte do mercado de aplicações e jogos para smartphones, onde os jogos em Java sobreviviam apenas em equipamentos de gama média e baixa. O vencedor desse ano foi Uno Spin, da Gameloft, sobre o qual dissemos “Ao contrário dos anos anteriores em que o galardão maior foi sempre entregue a jogos de acção ou corridas, títulos mais virados para jogadores intensivos, este ano o prémio vai para um jogo para um público-alvo mais amplo, um título casual que irá divertir (e muito) todos os tipos de jogadores.

Nesse ano elegemos também os melhores jogos para as diferentes plataformas móveis. O melhor para iPhone foi Infinity Blade, da Epic Games, para iPad foi World of Goo, da 2D Boy, para Android foi Zenonia, da Gamevil, e para Windows Phone foi Uno, da Gameloft.

2011

O vencedor desse ano foi Tetris 2011, da EA Mobile, sobre o qual dissemos “O prémio vai de novo para um jogo para um público-alvo mais amplo, um título casual que irá divertir (e muito) todos os tipos de jogadores. Lançado muito perto do final do ano, esta versão do clássico traz-nos uma série de novos modos de jogo que o tornam ainda mais divertido e desafiante de jogar, um verdadeiro vício. Este jogo mostra como algo que já teve inúmeras versões e actualizações pode ainda ser alvo de melhoramentos para o tornar ainda melhor, parabéns à EA Mobile pelo feito.

2011 marca o ano em que a Foneplay elege pela última vez um jogo Java como o melhor do ano, ditando o fim de uma era, de um reinado, onde o Java liderava o mercado dos jogos mobile.

2012

Infelizmente, 2012 marca o inicio de um período menos activo da Foneplay, com o encerramento da revista digital e o site a atravessar por alguns períodos de completa estagnação. No entanto, não deixámos de eleger o melhor do ano, que foi Subway Surfers, um título para smartphones Android e iOS, que ainda hoje contínua a mostrar a sua qualidade ao continuar no top dos jogos mais descarregados do mundo.

2013

O melhor de 2013 foi DEVICE 6 da Simogo Games, um thriller surreal em que a palavra escrita é o mapa do jogador, assim como o seu narrador. DEVICE 6 joga com as convenções de jogos e literatura, entrelaça história com geografia e combina quebra-cabeça e novela, para atrair os jogadores para um mistério intrigante de tecnologia e neuro-ciência. Anna acorda num castelo numa ilha remota, com poucas lembranças de como ela chegou lá. Ela só se lembra de uma boneca extraordinariamente desagradável… Por que existem dois castelos idênticos na ilha? Quem é o misterioso homem de chapéu-coco? E, acima de tudo, para que servem os testes que Anna é submetida?

2014

O vencedor de 2014 foi Monument Valley, um vencedor inequívoco pois tratou-se para a grande maioria doe media como o melhor jogo lançado esse ano para smartphones, tendo ganho inúmeros prémios. Monument Valley é uma exploração surreal através de uma arquitectura fantástica e geometria impossível. É preciso guiar a silenciosa princesa Ida através de monumentos misteriosos, descobrindo caminhos escondidos, revelando ilusões de óptica e sendo mais esperto que o enigmático povo corvo.

2015

E para a Foneplay, o melhor jogo para smartphones de 2015 foi Horizon Chase. Criado pelo estúdio brasileiro Aquiris Game Studio, Horizon Chase é um jogo de corridas arcade impressionante, com excelentes gráficos e uma jogabilidade viciante. Inspirado nos grandes sucessos dos anos 80 e 90: Out Run, Lotus Turbo Challenge, Top Gear (SNES), Rush, entre outros, cada curva de cada volta de Horizon Chase remonta a jogabilidade clássica dos jogos arcade oferecendo diversão sem limites de velocidade. É prego a fundo!

2016

O vencedor em 2016 foi Reigns, um simples mas extremamente viciante jogo que cativou o mundo inteiro nesse ano. Num estilo muito parecido com a aplicação Tinder, o jogador tem que tomar decisões de forma a manter todas as facções do reino satisfeitas e assim sobreviver o maior tempo possível.

2017

Depois de Assassin’s Creed, que tinha vencido nos anos de 2007 e 2009, foi a vez de Monument Valley se juntar à reduzida lista de jogos cujas sequelas também arrebataram o prémio de melhor do ano. Trata-se da continuação do primeiro jogo, mas desta vez com o desafio de mover duas personagens. Monument Valley 2 apresenta uma nova aventura ambientada num mundo lindo e impossível onde é preciso ajudar Ro enquanto ela ensina a sua filha sobre os mistérios do vale, explorando ambientes deslumbrantes e manipulando a arquitectura para guiá-las ao longo do caminho.

2018

O vencedor de 2018 foi PUBG Mobile, um título sobejamente conhecido, que ainda hoje marca presença nos tops mundiais, e um dos títulos que fez aumentar a popularidade do género de battle royale.

2019

E, por fim, o vencedor do ano passado foi Call of Duty: Mobile, jogo desenvolvido em parceria entre a Activision e a Tencent. Trata-se de um jogo free-to-play que reúne mapas, modos, armas e personagens de toda a franquia Call of Duty, incluindo Black Ops e a série Modern Warfare. Desenvolvido em exclusivo para equipamentos Android e iOS pelo premiado estúdio Timi da Tencent, o jogo apresenta vários modos que colocam os jogadores em acção competitiva enquanto testam as suas habilidades contra jogadores de todo o mundo.

Resta aguardar pela próxima semana para saberem qual foi o melhor jogo de 2020 para a Foneplay. Mas, entretanto, votem para a a eleição do melhor jogo dos leitores da Foneplay.

Partilhe este artigo:

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis. Facebook | LinkedIn

Ver todos os posts de Paulo Miranda →

Deixe uma resposta

Os comentários, que são moderados antes de serem publicados, são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. A Foneplay reserva-se no direito de excluir comentários que achar não serem adequados.