Quais as principais tendências para o mercado de jogos para smartphones para 2021?

Os últimos anos têm sido incríveis para o mercado dos jogos para smartphones, com o ano passado, mesmo no meio de um terrível pandemia, a ser o melhor ano de sempre quer em receitas como em downloads. A ascensão dos jogos mobile tem sido meteórica e a pandemia tem ajudado com as pessoas a procurar formas de passar o tempo e manter a interacção social.

A Sensor Tower estima que as receitas de 2020 dos jogos para smartphones sejam de 79,5 mil milhões de dólares, um aumento de 26% em relação a 2019. Portanto, para resumir, a indústria de jogos para dispositivos móveis gerará mais receitas do a indústrias do cinema e da música combinadas até o final de 2021. 

Mas, os que é que os peritos e analistas prevêem ser as principais tendência para 2021 para o sector dos jogos para smartphones?

As receitas continuarão a crescer, mesmo após o fim da pandemia

A pandemia acelerou muitas tendências no mercado de jogos, ajudando a aumentar as receitas e downloads em todo o mundo. Mais cedo ou mais tarde, a pandemia acabará por diminuir e acabar, mas as principais empresas de estudos de mercado, como a Newzoo e a Sensor Tower, prevêem que a tendência de aumento das receitas continuará. Os jogos mobile ganharam espaço nos hábitos das pessoas durante o confinamento, e esses investimentos nos jogos não serão facilmente postos de lado.

No entanto, o nível de crescimento visto no ano passado não será replicado neste ano, dadas as circunstâncias únicas de 2020. Jogos de PC e consola têm uma barreira maior de entrada, mas, portanto, mais poder de aderência. Enquanto isso, os jogos móveis tiveram um maior impacto devido aos confinamentos, mas a baixa barreira de entrada nos jogos móveis também significa uma menor barreira para a saída. Reter o fluxo de jogadores novos e antigos em 2021 será um dos principais desafios para os programadores e editoras.

A Newzoo prevê que em 2021, 2,8 mil milhões de jogadores em todo o mundo ajudarão o mercado global de jogos a gerar receitas de 189,3 mil milhões de dólares. Os mercados emergentes conduzirão grande parte dessas novas receitas, à medida que a economia continua a crescer em regiões como o Sudeste Asiático e o Oriente Médio e Norte de África.

O mercado de cloud gaming aumentará em 2021

Este ano marcou um ponto de inflexão fundamental para o mercado de cloud gaming, com a maioria das principais empresas, incluindo Amazon, Google, Microsoft e Tencent, a lançarem os seus respectivos serviços. Além disso, o confinamento em casa acelerou a adopção deste tipo de serviços em todo o mundo, com os consumidores a terem mais tempo para investir em jogos.

Depois deste serviços terem sido lançados para Android, vemos soluções alternativas para a disponibilização dos mesmos para os equipamentos iOS, por meio de uma web app ou outras plataformas. O Stadia já tem uma web app para o Safari que, supostamente, funciona bem. Enquanto isso, a app da Xbos Game Pass deve ser lançada para PC e iOS na primavera, com possibilidade de compatibilidade com smart TVs.

Para esse fim, as receitas anuais dos jogos em nuvem ultrapassarão os mil milhões de dólares pela primeira vez em 2021,

Os recursos sociais continuarão a crescer

Da mesma forma que a mecânica social dos jogos mobile, os jogos de plataformas sociais como o Snapchat continuarão a ganhar maior participação de mercado e popularidade. A conhecida Zynga, por exemplo, formou uma parceria com o Snapchat para lançar vários jogos exclusivamente no Snap Games e tirar proveito da sua plataforma social. Podemos esperar parcerias semelhantes em 2021, com aplicações das redes sociais a disputar por uma fatia do mercado de jogos.

Com as lojas de apps a receber cada vez mais visitantes, reter os utilizadores tornou-se na mais alta prioridade para as editoras. Por isso, podemos esperar ver mais jogos a integrarem mecanismos sociais como chats no jogo, feeds de actividades que permitem seguir o progresso no jogo de outros utilizadores, guildas/clãs e notificações push para informar os jogadores sobre convites ou menções.

Jogos hiper-casuais e multiplayer

Os jogos hiper-casuais têm sido um dos grande impulsionadores do crescimento do mercado dos jogos para smartphones, atraindo um grande número de jogadores com títulos de fácil entrada, tornando a experiência de jogo ideal para jogadores casuais. O multiplayer também desempenhou um papel importante ao longo de 2020, permitindo a interacção entre as pessoas, com o jogo Among Us, o mais descarregado do ano passado, a ser um claro exemplo disso.

2021 deverá manter este tendência, com mais pessoas a experimentarem jogos nos seus smartphones, com os títulos casuais a terem aqui um papel importante em “acolher” esses novos jogadores, e os títulos multiplayer que deverão continuar a ser importante na ligação entre as pessoas, ainda para mais neste inicio do ano com mais confinamentos.

A importância do 5G

A introdução do 5G irá ajudar a levar o sector de jogos móveis para o próximo nível. Com velocidades que superam o 4G em cerca de dez vezes, o 5G não só ajuda na velocidade de ligação e download, mas também em menos congestionamentos. Os jogos na nuvem irão ganhar rapidamente mais popularidade, pois permitirão que os jogadores joguem em qualquer lugar, desde que tenham uma ligação de Internet de qualidade. Para além disso, existirá um incremento na procura por jogos multiplayer, com a velocidade e a confiança na ligação à Internet a fazerem uma grande diferença na experiência de jogo.

Será este o ano da realidade virtual e aumentada?

Embora a tecnologia de realidade aumentada e virtual pareça estar presente, ela ainda não atingiu o pico. Pokémon Go é um excelente exemplo do sucesso de um bom jogo de realidade aumentada (RA), mas os programadores ainda não estão completamente à vontade quando se trata de implementar totalmente esta tecnologia em jogos. No entanto, espera-se que surjam mais jogos do género ou que utilizem a RA de alguma forma.

Sobre a realidade virtual (RV) estamos ainda muito mais atrás, com os primeiros passos dados a serem muito ligeiros e sem grandes ideias para o futuro. A Samsung fez uma parceria com a Oculus em 2015 para fornecer aos seus utilizadores o com um smartphone com o Gear VR, com a LG e a Google a responderem com ofertas similares. No entanto, desde então, não houve muito conteúdo e desenvolvimento nesta área. Afinal, não há público interessado e os equipamentos actuais são volumosos, caros e de baixa potência. Resta saber se iremos ver algo novo acontecer nesta área durante este ano.

Serão os jogos mobile a próxima fronteira para o E-Sports?

E-Sports mobile é mais do que uma moda passageira, é a tempestade perfeita de tecnologia e jogos disponíveis no mundo digital. Os smartphones começaram vertiginosamente a sua ascensão aos olhos do público, e embora o PC seja ainda a principal plataforma para jogos competitivos, os jogos multiplayer para smartphones já evoluíram muito além de jogar Scrabble com os amigos. Como prova a história, os jogos avançam sempre que uma nova tecnologia e grandes ideias se aliam. Se adicionarmos jogos na nuvem e confinamentos devido a uma pandemia global obtemos a receita perfeita para o crescimento dos e-sports mobile.

Mas serão os jogos para dispositivos móveis um bom caminho a seguir? Com cerca de 3,5 mil milhões de utilizadores de smartphones em todo o mundo e 2,5 mil milhões usando esses dispositivos para jogar, era apenas uma questão de tempo até que as organizações de e-sports e editoras de jogos começassem a lucrar com este público. Versões “lite” de títulos de e-sports populares como Call of Duty Mobile , PUBG Mobile e o recém-anunciado League of Legends: Wild Rift permitem aos jogadores jogar e competir em hardware que já possuem, o que reduz a barreira de entrada para os e-sports móveis.

Organizações de e-sports e patrocinadores de marcas estão a investir uma quantidade considerável de tempo, esforço e dinheiro nos smartphones. A organização de e-sports 100 Thieves está  a apostar tudo na franquia, de acordo com o seu fundador Matthew “Nadeshot” Haag, incluindo uma possível equipa Call of Duty Mobile . A Activision fez uma parceria com a Sony Mobile para lançar o Call of Duty: Mobile World Championship este ano com um prémio de um milhão de dólares. A PUBG Corporation apresentará sete novas regiões PUBG Mobile Pro League em 2021 e um prémio total de 14 milhões de dólares.

As maiores marcas de telecomunicações do mundo não estão apenas a investir em e-sports mobile como parceiras, mas também a criar as suas próprias equipas e competições. A AT&T foi parceira fundadora da ESL Mobile Open, por exemplo. A Deutsche Telekom, empresa que detém da T-Mobile, possui uma participação na SK Gaming, que forma uma equipa profissional de Clash Royale. SK Gaming é uma joint venture entre T1 e Comcast. A ESL lançou um torneio móvel 5K com a Vodafone em 2019.

Newzoo prevê que levará cerca de quatro anos até que o 5G chegue a que pelo menos metade dos smartphones estejam prontos para o 5G. Neste entretanto, os fabricantes de equipamentos e operadoras estão a plantar as sementes da lealdade com patrocínios de e-sports que funcionam como demonstrações de produtos.

As finais do Vodafone 5G ESL Mobile Open inaugural foram disputadas no smartphone Huawei Mate 20X 5G. Graças a uma parceria com a Samsung, o Team Queso compete utilizando um Samsung Galaxy Note 20 Ultra 5G. A Verizon foi um pouco mais longe, estabelecendo um centro de treino 5G para Dignitas, que recebe várias equipas, incluindo uma para Clash Royale.

São por isso já bastantes acções a serem desenvolvidas no sentido de elevar a importância do mobile no campo dos e-sports, e este ano deverá brilhante neste capítulo.

Aumento de jogos com suporte multiplataforma

Devido aos jogos na nuvem, as plataformas de jogos são capazes de fornecer suporte parcial e total para outras plataformas. Isto é importante pois jogos com suporte multiplataforma permitem obter uma ampla gama de público, porque nem todos podem pagar numa Playstation ou Xbox.

A procura por jogos com suporte para multiplataforma está a aumentar entre os jogadores, algo que também deixa os donos das plataforma contentes pois eles também desejam manter o seu público fiel. Os serviços de cloud-gaming, o aumento da adopção do 5G e a chegada de um cada vez maior número de títulos das consolas e PCs aos smartphones irão potenciar o suporte multiplataforma durante os próximos tempos, com 2021 a poder marcar o inicio um aumento da tendência do desenvolvimento desta funcionalidades nos jogos.

Mais e melhores gaming phones

São cada vez mais os fabricantes que lançam equipamentos voltados para os jogos, com versões cada vez mais robustas e capazes de fornecer uma experiência de jogo muito mais divertida e imersiva. Iremos presenciar em 2021 na continuação desta tendência, com cada vez mais e melhores smartphones, com maiores taxas de actualização do ecrã, botões dedicados e um crescente número de acessórios para tornar tudo ainda mais fácil. Teremos também equipamentos não comercializados com gaming phones e seguir algumas destas características para chegar a um público que começará a procura-las cada vez mais nos equipamentos que pretende adquirir. O e-sports será também um grande impulsionador pela procura deste tipo de equipamentos.

Considerações finais

Não há como negar que com os avanços da tecnologia, os jogadores / público esperam que a experiência de jogo também melhore. Olhando para estas tendências, pode-se dizer que a experiência geral de jogo também tornar-se-á mais imersiva e realista. Este poderá ser o momento certo para entrar e experimentar os jogos para smartphones ou ir além de um jogo casual apenas para passar o tempo.

No geral, os jogos estão a ajudar a criar uma cultura mais inclusiva e, ao mesmo tempo, mantendo os jogadores envolvidos. Estamos numa altura em que os jogos e as redes sociais são os principais meios de auto-expressão para a geração millennials

2021 poderá ser um ano de viragem para os jogos mobile, levando-os por caminhos mais de gamers, com uma maior interacção com as consolas e PCs, e-sports e outros, querendo ir desta forma muito mais além do jogo casual.

E a Foneplay estará cá para acompanhar como será esta evolução ao longo de 2021, trazendo-vos artigos sobre as últimas tendências e quais os melhores jogos.

Partilhe este artigo:

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis. Facebook | LinkedIn

Ver todos os posts de Paulo Miranda →

Deixe uma resposta

Os comentários, que são moderados antes de serem publicados, são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. A Foneplay reserva-se no direito de excluir comentários que achar não serem adequados.