Quatro em cada cinco pessoas tentaram remover informações privadas de sites ou redes sociais

Uma nova pesquisa da Kaspersky descobriu que os consumidores estão a ganhar maior interesse em proteger e manter o controlo sobre os seus dados pessoais. O último relatório da empresa, Defendendo a privacidade digital: elevando a protecção pessoal para o próximo nível , descobriu que os consumidores estão cada vez mais conscientes aonde os seus dados pessoais estão disponíveis online. De facto, 82% dizem que tentaram remover informações privadas de sites ou redes sociais. No entanto, mais de um terço (37%) não tem ideia de como fazê-lo.

O relatório apresenta dados de uma pesquisa realizada em 23 países. Ele examina as atitudes actuais dos consumidores em relação à privacidade online e as medidas que as pessoas estão a tomar para impedir que informações privadas caiam nas mãos erradas.

Não são apenas as informações pessoais das pessoas que estão preocupadas, mas também os dos seus entes queridos. O relatório constata que 24% dos consumidores afirmam que os seus dados ou informações pessoais sobre a sua família foram disponibilizados ao público sem o seu consentimento.

Tais ocorrências estão a levar os consumidores a fazer escolhas conscientes sobre como e onde os seus dados pessoais são armazenados. Uma proporção significativa de pessoas aplica medidas adicionais ao navegar na Internet. Quarenta e três por cento dizem que estão a fazer isso para ocultar as suas informações de criminosos cibernéticos, enquanto 41% desejam ocultá-las dos sites que visitam e 37% desejam ocultá-las de outras pessoas que acedem ao mesmo dispositivo.

De quem os consumidores mantêm seus segredos de navegação protegidos?
De quem os consumidores mantêm os seus segredos de navegação protegidos

Alguns consumidores continuam cautelosos ao armazenar informações pessoais nos seus dispositivos. Vinte e um por cento dizem que estão especificamente preocupados com a recolha de dados pessoais pelas aplicações que usam nos seus dispositivos móveis.

Existem muitas formas de controlar a sua pegada digital“, disse Marina Titova, chefe de marketing de produtos de consumo da Kaspersky. “Uma delas é ter em mente com quem se partilha os dados pessoais e entender como eles podem ser utilizados. Tudo o que é recolhido na Internet pode permanecer acessível a uma grande variedade de pessoas por um longo tempo, a menos que se tomem medidas específicas para protegê-lo. Entender como manter em segurança os dados pessoais na Internet e gerir com eficiência o local onde os seus dados são armazenados é um passo para garantir uma presença online positiva, melhorar a sua reputação pessoal e abrir oportunidades futuras.

Para que os consumidores protejam melhor a privacidade dos seus dados, muitas vezes precisam de orientações sobre como fazê-lo de forma eficaz.

A ‘Pesquisa Global de Privacidade’ anual realizada pela Kaspersky oferece ferramentas úteis para entender melhor o nível de consciencialização e a percepção geral dos utilizadores da Internet sobre o exercício do seu direito à privacidade e à protecção de dados pessoais”, disse Patrick Penninckx, Chefe do Departamento de Informação Sociedade, Conselho da Europa. “A Convenção 108+ recomenda a promoção de um uso mais amplo e significativo das avaliações de impacto na protecção de dados, a aplicação da privacidade por princípio de design e uma atitude pro-activa em relação aos requisitos de segurança de dados.

Para garantir que suas informações pessoais permaneçam protegidas na Internet, a Kaspersky aconselha o seguinte:

  • Manter uma lista das suas contas online para ter uma compreensão completa de quais serviços e sites podem estar a armazenar as suas informações pessoais
  • Comece a usar o “Verificador de privacidade ” para ajudar a tornar seus perfis nas redes sociais mais privados. Isso tornará mais difícil a terceiros encontrar informações altamente pessoais
  • Para identificar solicitações potencialmente perigosas ou questionáveis ​​feitas por uma aplicação e entender os riscos associados a diferentes tipos de permissões comuns, instalar o Kaspersky Security Cloud . O produto também incorpora um recurso Não rastrear para impedir o carregamento de elementos de rastreio que monitorizam as acções em sites e recolhem informações sobre o utilizador

Fonte: Kaspersky

Partilhe este artigo:

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis. Facebook | LinkedIn

Ver todos os posts de Paulo Miranda →

Deixe uma resposta

Os comentários, que são moderados antes de serem publicados, são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. A Foneplay reserva-se no direito de excluir comentários que achar não serem adequados.