App “Posso ir?” passa a incluir informação sobre a taxa de ocupação das praias

Como é constantemente indicado, aglomerados de pessoas nos estabelecimentos e espaços públicos aumentam o risco de exposição à Covid-19. Muitas apps têm surgido com o intuito de ajudar as pessoas a terem noção do estado de ocupação de muitos locais e estabelecimentos. Entre elas inclui-se a “Posso Ir?”, que, inicialmente, media a taxa de ocupação de supermercados, farmácias e outros espaços públicos. Com o apoio da Deco Proteste, a app passa também a incluir as praias.

O verão está quase aí e o país está desejoso de começar a ir até à praias, mas, como sabemos, as autoridades de saúde criaram regras de acesso aos areais. Para além das regras de distanciamento, existem as relativas à lotação das respectivas praias. E nada melhor que saber essa informação antes de sair de casa, por isso, uma app dava mesmo jeito. Pois existem várias, a InfoPraias, a SandSpace e agora também a “Posso Ir?“. Desenvolvida no âmbito do Tech4Covid19, uma equipa de engenheiros, cientistas, designers, profissionais de saúde, técnicos de marketing e outros, todos voluntários, que se juntaram para combater a covid-19, popularizou-se no início da quarentena, por medir a taxa de ocupação de supermercados, farmácias e demais espaços públicos, com vista a garantir o distanciamento social. Agora, com o apoio da Deco Proteste, passou a integrar as praias na sua monitorização.

Tal como as restantes apps do género, a “Posso ir?” conta com as informações fornecidas pelos concessionários, juntando-lhes ainda as informações dos próprios banhistas. A parceria com a Deco Protest permitirá, em breve, mostrar informação adicional, como o nível de qualidade da água do mar, o histórico de ocupação, a existência de bandeira azul e de vigilância, e as infraestruturas disponíveis.

Com indicadores visuais para utilizadores daltónicos, a “Posso ir?”, que inclui 45 mil estabelecimentos comerciais e mais de 600 praias em Portugal Continental e nas ilhas, soma já mais de 200 mil downloads. Mas, sendo uma aplicação que se baseia na informação fornecida, é preciso a colaboração de um número superior de lojas, concessionários de praias e restaurantes, além do apoio das autarquias. Quanto maior o volume da informação recolhida, maior a fiabilidade, mas também o nível de confiança transmitida aos cidadãos, para que regressem à normalidade.

Posso ir?
Posso ir?
Editora: Posso Ir
Preço: Grátis
‎Posso ir?
‎Posso ir?
Editora: Posso Ir
Preço: Grátis
  • ‎Posso ir? Screenshot
  • ‎Posso ir? Screenshot
  • ‎Posso ir? Screenshot
Partilhe este artigo:

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis. Facebook | LinkedIn

Ver todos os posts de Paulo Miranda →

Deixe uma resposta

Os comentários, que são moderados antes de serem publicados, são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. A Foneplay reserva-se no direito de excluir comentários que achar não serem adequados.