Aplicação para ajudar pessoas daltónicas vence edição deste ano do Apps for Good

Foi no passado mês que a Fundação Calouste Gulbenkian recebeu a quinta edição do Apps for Good, um programa educativo tecnológico com origem no Reino Unido, desenvolvido pela CDI Portugal, que desafia alunos e professores a desenvolverem aplicações para smartphones ou tablets, mostrando-lhes o potencial da tecnologia na transformação do mundo e das comunidades onde se inserem

Nesta edição participaram 323 escolas de todo o país, com 836 professores envolvidos, tendo sido atribuídos dez prémios.

“Color You”, desenvolvida por cinco alunos do Instituto dos Pupilos do Exército foi a vencedora na categoria de Ensino Secundário. Trata-se de uma app que visa integrar e facilitar o quotidiano das pessoas daltónicas. Esta aplicação vai permitir ao utilizador identificar uma cor a partir de uma fotografia para reprodução futura, além de conter informações sobre os vários tipos de daltonismo, testes de despiste e ainda um conjunto de curiosidades sobre a forma como os daltónicos veem e interagem com o mundo.

No segundo lugar ficou a “Coursly”, do Agrupamento de Escolas de Padrão da Légua, uma app que fornece simuladores de médias e testes vocacionais para ajudar os alunos do ensino secundário a escolher o curso superior mais adequado para si. Por fim, no terceiro lugar ficou a “Polumap”, da Escola Secundária Serafim Leite, que pretende ser uma app móvel e um sítio web onde todos os utilizadores, em tempo real, identifiquem os locais onde existe poluição.

Na categoria Ensino Básico, a app vencedorea foi a “Must Be Green”, criada pela Escola Básica e Secundária do Levante, da Maia, tratando-se de uma aplicação que pretende ajudar a encontrar empresas para limpar os terrenos. O segundo lugar foi para a “Rescue Pets”, do Agrupamento de Escolas de Saboia, uma plataforma móvel e web para proporcionar ao público em geral um modo prático de intervir em situações de abandono de animais. E no terceiro posto ficou a onlyHEAL da Escola Básica e Secundária do Levante da Maia, uma plataforma digital que estabelece a ligação directa entre utentes e farmacêuticos, para partilha de conselhos, planos de toma de medicamentos, etc.

Foram ainda atribuídos prémios à app SOS Adolescência, que envia dicas e soluções para ajudar adolescentes com problemas de bullying ou outros; ao jogo InvasorasCV, que quer informar e sensibilizar os cidadãos para as espécies de plantas invasoras e os problemas que estas causam; e à plataforma AEEG Alugin, que permitirá gerir o aluguer dos gimnodesportivos.

A tecnologia deve ser um meio, e não apenas um fim, para a resolução de problemas e de causas sociais que permitam criar uma sociedade mais inclusiva, cívica e sustentável, e o Apps for Good desenvolve a capacidade crítica, criativa e empreendedora dos jovens”, afirmou João Baracho, director executivo do CDI Portugal.

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →