Apple Arcade já está disponível e traz muitas dezenas de jogos de qualidade

A Apple lançou o seu novo serviço de jogos, o Apple Arcade, no passado dia 19 deste mês. Trata-se de um serviço de subscrição, que tem um custo mensal de €4,99, e que permite o acesso a muitas dezenas de jogos exclusivos. O objectivo do serviço é fornecer jogos de elevada qualidade sem quaisquer tipos de interrupções de anúncios com publicidade ou da necessidade do pagamento de micro-transacções de elementos a adicionar aos jogos. O utilizador subscrito no serviço terá acesso aos jogos completos e poderá jogar quantos quiser desde que tenha a sua subscrição activa.

Aquando do seu lançamento, o serviço tinha 75 jogos disponíveis, com a Apple a indicar que chegará aos 100 em Outubro. Existem jogos para todos os gostos e de franquias de sucesso, como Rayman, Sonic e Frogger, assim como de empresas conhecidas, como a Capcom, Square Enix, SEGA e Ubisoft. Alguns dos títulos são exclusivos do Apple Arcade, enquanto outros estão disponíveis em outras plataformas, embora a um preço superior.

E sobre preços, os €4,99 de subscrição mensal é realmente uma pechincha para o número de jogos de qualidade incluídos no serviço. Se adicionarmos ainda a partilha em família, que permite que até 4 jogadores possam utilizar a mesma conta, e o primeiro mês ser gratuito, não deixam dúvidas que o serviço é extremamente aliciante o que certamente atrairá muitos jogadores.

Mas não deixam de existir muitas dúvidas se o serviço será realmente um êxito ou não. Como vimos, não existem entraves em termos de preço e promoções a potenciarem a experimentação do serviço. O importante, no entanto, é a retenção dos utilizadores ao longo do tempo, ainda para mais em algo que, à primeira vista, parece mais dirigido a jogadores mais “experientes” e não tanto aos jogadores casuais para os quais alguns minutos de Candy Crush são suficientes. Não está assim muito claro se este tipo de jogadores está disposto a pagar uma mensalidade, mas principalmente, se pretende fazer a transição para um outro tipo de jogos que exigem mais tempo e dedicação.

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *