Gartner prevê que vendas de smartphones vão diminuir 3% este ano e que o 5G chega em força em 2023

Segundo o último estudo e previsões da Gartner, o mercado dos smartphones irá registar o pior desempenho de sempre com um decréscimo de 3,8%. “O actual mercado dos smartphones com 1,7 mil milhões de vendas está cerca de 10% abaixo dos 1,9 mil milhões registados em 2015“, disse Ranjit Atwal, director de pesquisa da Gartner. “Se os smartphones não fornecerem novas funcionalidades, eficiência ou experiências significativas, os utilizadores não irão trocar por modelos mais recentes e, consequentemente, aumentarão o tempo de vida desses dispositivos“.

A tendência de prolongar a vida útil dos smartphones começou em 2018 e continuará durante o corrente ano. A Gartner prevê que o tempo de vida dos equipamentos subirá de 2,6 anos para quase 2,9 anos até 2023. A Gartner estima que as vendas de smartphones caiam 2,5% em 2019, que seria o pior declínio de sempre.

Por outro lado, no início deste ano, as operadoras de telecomunicações móveis lançaram serviços 5G nos EUA, Coréia do Sul, Suíça, Finlândia e Reino Unido, mas levará ainda algum tempo para que as operadoras expandam a cobertura 5G para além das principais cidades. Até 2020, a Gartner estima que 7% dos provedores de serviços de comunicações globais terão um serviço 5G sem fio comercialmente viável. Isso marcará um progresso significativo nas provas de conceito 5G e no trabalho de construção de redes comerciais em 2018.

No primeiro semestre de 2019, vários fabricantes de smartphones lançaram dispositivos com suporte para 5G. Para melhorar a desaceleração das vendas de smartphones, os fabricantes estão a procurar introduzir equipamentos 5G mais acessíveis em 2020. “Em 2020, os aparelhos com 5G representarão 6% do total de vendas de smartphones. À medida que a cobertura do serviço 5G aumenta, a experiência do utilizador melhora e os preços diminuem. O salto ocorrerá em 2023, quando esperamos que os telefones 5G respondam por 51% das vendas de smartphones”, disse Atwal.

A Gartner indica ainda que os gestores de produto devem garantir que os smartphones topo de gama se diferenciem pela integração de aplicações com outros dispositivos, em vez de depender apenas da evolução do hardware 5G.

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →