Foneplay comemora hoje 14 anos

Como o tempo passa! Faz hoje 14 anos que se iniciou o projecto Foneplay com o lançamento do site. Depois de muitos anos dedicados aos jogos para telemóveis, tendo inclusive sido um dos primeiros a nível mundial totalmente dedicado a este mercado dos videojogos, a Foneplay decidiu no inicio deste ano alargar a abrangência temática do site.

Mudanças disruptivas no mercado de jogos mobile tiveram fortíssimo impacto em muitos projectos deste género, originando inclusive o cancelamento de muitos deles. A Foneplay não foi excepção, mas, em vez de fechar, optámos por realinhar a nossa temática. Desta forma, desde Março deste ano que a Foneplay alargou a sua linha de conteúdos a todo o tipo de temas relacionados com telecomunicações móveis, como smartphones, tablets, acessórios, apps, jogos, produtos e serviços de operadoras, entre outros.

Começámos quando os telemóveis ainda tinham ecrãs a preto-e-branco e teclas, quando os jogos eram em Java e internet focada para estes dispositivos era inexistente. Tivemos assim a oportunidade de acompanhar todas as rápidas e incríveis evoluções registadas neste mercado ao longo dos últimos 14 anos, como o surgimento do iPhone, do Android, das lojas de aplicações e todo o impacto que estes e outros acontecimentos tiveram no estrondoso crescimento desta área das telecomunicações.

Num percurso marcado por altos e baixos, foram anos recheados de muitas novidades, num mercado sempre em frenética evolução, onde foram realizadas diversas parcerias com entidades bem conhecidas, como o SAPO, a revista PC Guia e a NOS, entre outras. 

Um grande obrigado a todos que fizeram parte da nossa equipa ao longo destes anos, e também a todos os que nos têm acompanhado, que espero que continuem connosco por muitos mais anos.

Divirtam-se!

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →