Harry Potter:Wizards Unite já está disponível em Portugal e no Brasil

Lançado oficialmente na passada sexta-feira nos EUA e Reino Unido, Harry Potter: Wizards Unite já está disponível para download em Portugal e no Brasil. Este é um novo jogo de Realidade Aumentada criado pela Niantic, a mesma do popular Pokémon Go, e que coloca o jogador no papel de um recruta da Força-Tarefa de Manutenção de Sigilo e como a missão de manter a magia longe dos olhos dos muggles.

Uma Catástrofe assolou o mundo dos feiticeiros e transporta os Magis – artefactos mágicos, criaturas, pessoas e, até mesmo, memórias – para o mundo dos muggles. O jogador terá que percorrer e explorar o mundo, o mapa revelará rastos de magia que destacam a localização dos Magis. Esses rastos são encontrados em diversos locais do mundo real e activam encontros virtuais em 3D com realidade aumentada avançada de 360º. O jogador terá que lançar diversos feitiços para derrotar a magia maligna ao redor dos Magis e recuperá-los para o mundo dos feiticeiros.

Segundo valores indicados pela Sensor Tower, Harry Potter: Wizards Unite registou mais de 400 mil downloads nas primeiras 24 horas, lembrando que apenas esteve disponível nos EUA e Reino Unido. O jogo é gratuito para download mas tem compras in-app, que também geraram receitas na ordem dos 300 mil euros durante o mesmo período, com a Sensor Tower a prever que o jogo consiga atingir os 400 a 500 milhões no primeiro ano. Estes números irão crescer muito durante os próximos dias enquanto o jogo fica disponível para download em mais países.

Harry Potter: Wizards Unite
Harry Potter: Wizards Unite
Editora: Niantic, Inc.
Preço: Grátis
‎Harry Potter: Wizards Unite
‎Harry Potter: Wizards Unite
Editora: Niantic, Inc.
Preço: Grátis+

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os assuntos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →