Huawei ultrapassa Apple e é a segunda marca de smartphones mais vendida

De acordo com o relatório trimestral da IDC, foram vendidos 310,8 milhões de smartphone entre Janeiro e Março deste ano, representando uma queda de 6,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Este é o sexto trimestre consecutivo de queda.

Estas previsões iniciais são um claro sinal de que 2019 será mais um ano em baixa, depois de em 2018 as vendas terem descido caíram 4,1% em relação a 2017. O único destaque positivo vai para a Huawei, que se afirmou ainda mais no mercado ao aumentar o volume de vendas quota de mercado. “Está a ficar cada vez mais claro que a Huawei está focada no crescimento da sua posição no mundo dos dispositivos móveis, com os smartphones sendo o seu líder”, disse Ryan Reith , vice-presidente do programa IDC Worldwide Mobile Device Trackers. “O mercado global de smartphones continua a ser desafiado em quase todas as áreas, mas a Huawei conseguiu aumentar as vendas em 50%, não apenas significando a vice-liderança em termos de quota de mercado, mas também diminuindo a diferença para a Samsung”.

De um ponto de vista geográfico, foi o mercado dos EUA que sentiu a pior da queda no primeiro trimestre deste ano. O volume de vendas de smartphones caiu 15%. O iPhone da Apple foi quem mais contribuiu para estes resultados excepcionalmente fraco nos EUA, mas não foi o único pois a Samsung, LG e outros grandes fabricantes também testemunharam volumes decepcionantes durante o trimestre. “Os consumidores continuam a manter os seus telefones por períodos mais longos do que anteriormente, já que os novos modelos mais caros oferecem pouco incentivo para desembolsar mais dinheiro. Além disso, a chegada dos aparelhos 5G pode fazer os consumidores esperarem até que as redes e os aparelhos estejam prontos em 2020.” , disse Anthony Scarsella, gerente de pesquisa do Worldwide Quarterly Mobile Phone Tracker da IDC.

IDC sobre smartphones

A Samsung teve um decréscimo das vendas de smartphones de 8,1%, tendo vendido 71,9 milhões de aparelhos. Os resultados foram suficientes para manter a Samsung no topo do mercado, mas a Huawei continua a encurtar caminho. A Samsung adiantou que a recém lançada série Galaxy S10 vendeu bem durante o trimestre. Com a variante 5G agora lançada no seu mercado doméstico da Coreia e planos de trazer este dispositivo e outros 5G para outros mercados importantes em 2019, será igualmente crucial para a Samsung não perder o foco na sua estratégia de produtos de gama média/alta para se defender da Huawei.

A Huawei subiu claramente para o segundo lugar, sendo o único fabricante de smartphones no topo do mercado que viu os volumes crescerem durante o trimestre. De maneira impressionante, a empresa apresentou um crescimento de 50,3% em relação ao mesmo período ano passado, vendendo 59,1 milhões de unidades e obtendo 19% de quota de mercado. Na China, a Huawei continuou a sua dinâmica positiva com um portfolio completo para todos os segmentos, desde o baixo ao alto. Os modelos topo de gama da Huawei continuaram a criar uma forte afiliação para os modelos de gama média e baixa, que estão apoiando o desempenho geral da empresa.

A Apple teve um primeiro trimestre fraco com as vendas a caírem para 36,4 milhões de unidades, representando um declínio de 30,2% em relação ao ano passado. O iPhone esforçou-se para conquistar consumidores na maioria dos principais mercados, enquanto a concorrência continua a ganhar quota de mercado à Apple. Os cortes de preços na China ao longo do trimestre, juntamente com acordos de troca favoráveis ​​em muitos mercados, ainda não foram suficientes para encorajar os consumidores a se actualizarem. Combinando isso com o fato de que a maioria dos concorrentes lançará em breve telefones 5G e novos dispositivos dobráveis, o iPhone poderá enfrentar um resto de ano muito difícil. Apesar do fraco trimestre, a forte base instalada da Apple, juntamente com o seu recente acordo com a Qualcomm, será vista como a luz no fim do túnel que vai até 2020 para o gigante de Cupertino.

A Xiaomi também registou um declínio com um volume vendas de 25,0 milhões e uma queda de 10,2%. Apesar do seu movimento contínuo para a Europa e outras regiões, a Ásia / Pacífico (excluindo o Japão) continua a ser a sua região mais importante, com a China, a Índia e a Indonésia respondendo pela maior parte do seu volume na região. Desses três mercados críticos, a Índia foi o único país na Ásia / Pacífico onde a Xiaomi aumentou as suas vendas durante o trimestre.

O top cinco do mercado de smartphones é fechado com a Vivo, com um volume de vendas de 23,2 milhões e uma quota de mercado de 7,5%, quase igual à OPPO que ocupa a posição número cinco, tendo vendido 23,1 milhões de smartphones no trimestre, o suficiente para capturar 7,4% de quota de mercado, embora as vendas tenham caído 6,0% em relação ao mesmo período de 2018. O recente anúncio da série Reno trouxe a OPPO de volta à vanguarda da discussão global sobre inovação em smartphones.

por Paulo Miranda

Fundador do projecto Foneplay, desde muito cedo entusiasta pela tecnologia, tendo acompanhado toda a evolução da internet e telemóveis. Trabalha nesta área há muitos anos sendo fã de jogos e de todos os aspectos relacionados com as telecomunicações móveis.

Ver todos os posts de Paulo Miranda →